O Site MCpt é participativo. Regista-te.

  O Registo agora é simples pois, depois de um largo período com restrições ao registo, agora o site tem várias proteções que permitem a defesa em relação a «robôs» que constantemente criavam falsos utilizadores... Enfim voltamos ao estado original do site, por isso o apelo: Regista-te e Participa * Insere Conteúdos e Comentários... Clica em «Criar uma nova conta» no menu esquerdo do site... (Se já estiveres inscrito não te preocupes; acede e participa simplesmente)

o blogue de Casainho

Montei a minha bicicleta eléctrica -- V3.2

NOTA: Não respondo a e-mails privados sobre este assunto. Se pretenderem falar comigo sobre este assunto, escrevam um comentário a esta mensagem.

NOTA: Ver página com informação sobre a V3.1.



Introdução

Após estar um mês sem a minha bicicleta eléctrica, não pude fazer as duas viagens semanais com ela como habitual e engordei vários kilos (ultrapassei pela primeira vez os 100Kg):


A minha variação de peso (registada usando a minha Smart Scale).

Montei a minha bicicleta eléctrica -- V3.1

NOTA: Não respondo a e-mails privados sobre este assunto.

NOTA: Montei uma nova versão de sistema eléctrico nesta bicicleta em Abril de 2012 -- ver página Montei a minha bicicleta eléctrica -- V3.2. A página com informação sobre a V3.0.


Após a primeira tentativa de usar o motor Bafang BPM 48V 500W e que partir os dropouts da forqueta, informei-me nos fórums e fiquei a saber que tinha de usar arm torque (braços de força). Foi o que fiz de seguida, comprei no site BMSBattery 2 pares, mandei-os soldar numa oficina local e apliquei-os após o mecânico ter colocado uma nova forqueta. Tive também de limar ligeiramente a forqueta para colocar de modo correcto as anilhas do tipo "C":

Montei a minha bicicleta eléctrica -- V3.0

NOTA: Não respondo a e-mails privados sobre este assunto. Se pretenderem falar comigo sobre este assunto, escrevam um comentário a esta mensagem.

NOTA: Montei uma nova versão de sistema eléctrico nesta bicicleta em Março de 2012 -- ver página Montei a minha bicicleta eléctrica -- V3.1. A página com informação sobre a V2.1.


 

Apenas 30 segundos de teste em 12 Março 2012

Estava ansioso para testar este novo POTENTE motor, fui à oficina do meu mecânico às 19h00 fazer o test drive. Coloquei-me em cima da bicicleta e assim que rodei o acelerador a roda da frente rodou com muita força e fez o pneu derrapar - fiquei espantado com a força do motor e com a rapidez de aceleração!!

Problemas das ciclovias

Cá em Portugal, segundo o código da estrada, é obrigatório circular pelas ciclovias quando as há.

 

bike lanes from Casey Neistat on Vimeo.

A minha cadeira de bebé para bicicleta

A minha prenda de anos para o meu filho foi uma cadeira para a bicicleta Sorrindo

Às vezes tenho de  transportar o meu filhote na cidade de Aveiro, levando-o para casa dos avós. Ando sempre de bicicleta, pelo que o natural para mim seria levar o puto de bicicleta -- das outras vezes que o levei de carro, sempre perdi mais tempo e deu-me mais trabalho (o carro fica sempre um pouco longe de casa, ao contrário da bicicleta que fica sempre dentro de casa).

Com a cadeirinha,  consigo agora mostrar-lhe as ruas e as pessoas da cidade -- é uma diversão! Sorrindo

Primeiro utilizei as BUGAS com cadeirinha para bebé e a cadeira que o puto e eu mais gostamos foi a cadeira para a frente, que é a menos vulgar (apenas por razões comerciais, segundo me parece) mas é a que me faz sentir mais próximo dele - vai junto do meu peito e entre os meus braços, a ver o mesmo que eu, consigo ir a falar com ele e costumamos dizer "Olá" a todas as pessoas Sorrindo


Mãe e o filho numa BUGA.

Porque a experiência correu muito bem, decidimos então comprar uma cadeira para a minha bicicleta - é da marca/empresa portuguesa Polisport e comprei numa loja local de bicicletas chamada Guersan, por 30€ (IVA incluído):


Pai e filho.

Oferta de emprego, Porto -- estafeta para entrega de encomendas em bicicleta (início de empresa/procura de sócio)

Foi colocado um anúncio que eu creio ser uma oferta de emprego para estafeta de entrega de encomendas em bicicleta (ou poderá até ser para início de empresa/procura de sócio), tal e qual como a empresa Camisola Amarela faz em Lisboa. Vejam a mensagem original aqui.

Ola!!

Procuro algum interessado em tonar se estafeta em bicicleta que queira colaborar comigo aqui no Porto e tenha conhecimentos do tipo de negocio.

Aguardo contactos de interessados atraves do meu email:martinsmendes@gmail.com.

António Mendes

Montei a minha bicicleta eléctrica -- V2.1

NOTA: Não respondo a e-mails privados sobre este assunto. Se pretenderem falar comigo sobre este assunto, escrevam um comentário a esta mensagem.

NOTA: Montei uma nova versão de sistema eléctrico nesta bicicleta em Março de 2012 -- ver página Montei a minha bicicleta eléctrica -- V3.0. A página com informação sobre a V2.0.


Fiz duas alterações à minha bicicleta eléctrica, sendo esta a versão 2.1. As diferenças entre a versão 2.0 são:

  • Guiador numa posição mais alta
  • Sistema de mudanças permitem pedalar a maior velocidade

Fotos de ambas as versões - versão 2.0:
 

Versão 2.1:

Guiador numa posição mais alta

Diáriamente ando sempre com uma bicicleta de cidade, que permite-me conduzir numa posição mais vertical, descontraída e agradável. Sempre quiz montar o sistema eléctrico numa bicicleta de cidade, pois as viagens que faço são sempre em estrada e são longas (cerca de 1h cada). A única bicicleta disponível que tinha era essa de BTT, que estava parada na garagem...

Ao longo das semanas, fazendo as duas viagens entre Aveiro -> Águeda (28km e ~1h) -> Aveiro (28km e ~1h), reparei que ia ficando com dores nos pulsos e nas costas, na zona lombar. Pela minha experiência, essas dores eram resultado de conduzir com o guiador numa posição muito baixa, assim, decidi ir ao mercado procurar uma melhor solução.

Resultado:

Noto uma grande diferença pois a condução é agora bem mais agradável e segura (tenho maior estabilidade pois este guiador é mais largo). As dores nos pulsos desapareceram e as lombares diminuiram muito Sorrindo

Sistema de mudanças permitem pedalar a maior velocidade

Porque uma parte da pedaleira se estragou, resolvi meter uma nova pedaleira e desta vez com mais dentes, permitindo-me assim atingir maiores velocidades a pedalar em longas rectas, nas viagens que faço duas vezes por semana.

Viagem Águeda -> Aveiro

Exemplo de viagem Águeda -> Aveiro feita em Fevereiro 2012 (imagens tiradas do meu Android, no software My Tracks):

De Barcelona a Braga...de bicicleta

Olá a todos,

No dia 26 de Março dei início ao projecto 2B's. O 2B's é uma viagem que vai ligar a cidade espanhola Barcelona, à capital do Minho - Braga.

Já percorri cerca de 1800km em pouco mais de 30 dias de viagem. Já visitei locais como: Valência, Múrcia, Alicante, Granada, Córdoba e Huelva, entre muitas outras cidades. Em Portugal já visitei Vila Real de Santo António, estando neste momento em repouso por uns dias em Faro.

A ideia é seguir pela costa algarvia e visitar o ponto mais a sudoeste de Portugal: Vila do Bispo. Daí seguir com rumo ao norte, pela costa do Atlântico, até à cidade de Braga - o meu destino final.

Este mensagem serve para além de divulgar este meu projecto pessoal, de apelar a todos os portugueses, toda a ajuda que cada um possa dar: um quintal para eu montar a minha tenda de campismo; um pouco de comida ou água; companhia a pedalar ou para uma animada conversa...

Deixo um forte abraço,
Leonardo Maia
in http://intotheroad.net

Livro de reclamações como ferramenta para ciclistas

Na Escola Secundária Marques de Castilho em Águeda que recebeu recentemente obras no valor 11,5 milhões de euros (e foram inauguradas há 6 meses), pedi há poucos dias o livro de reclamação com o objectivo de reclamar o facto da escola não ter estancionamento para bicicletas. A escola tinha estancionamentos para bicicletas antes das obras e agora apenas tem estancionamento para carros dos funcionários e professores.

Ao chegar à escola com a minha bicicleta, perguntei ao porteiro onde poderia estancionar/guardar a bicicletade. Para meu espanto, disse-me que não havia nenhum estancionamento de bicicletas na escola! Contudo, foi muito simpático e deixou-me guardá-la dentro da escola mas mesmo à entrada, numa zona pouco segura.

Decidi pedir o livro de reclamações com o objectivo de reclamar pelo facto da escola não ter estancionamento para bicicletas. Deram-me imediatamente muita atenção, prometendo guardar a bicicleta dentro da escola sempre que quisesse pois um funcionário iria abrir-me a porta para eu a guardar numa zona mais segura.

Creio que uma reclamação no livro, obriga à comunicação da mesma a uma entidade central de gestão das escolas, a reclamação fica para sempre registada! Todos têm um grande receio e isso para mim ficou patente na expressão do rosto do funcionário quando lhe pedi o livro.

Aconselho a que façam o mesmo que eu, pedir e usar o livro de reclamações, reclamando a existência de um estancionamento seguro para bicicletas.

Montei a minha bicicleta eléctrica -- V2.0

NOTA: Não respondo a e-mails privados sobre este assunto. Se pretenderem falar comigo sobre este assunto, escrevam um comentário a esta mensagem.

NOTA: Fiz algumas alterações a esta bicicleta em Maio de 2011 -- ver página Montei a minha bicicleta eléctrica -- V2.1. A página com informação sobre a V1.0.


Já passaram cerca de oito meses desde que montei a minha primeira bicicleta eléctrica -- V1.0. Utilizei-a constantemente durante os três primeiros meses.

Duas vezes por semana, apanhava o comboio regional "Vouguinha" em Aveiro e seguia para Águeda, transportando também a bicicleta no comboio. Umas horas mais tarde retornava para Aveiro utilizando a bicicleta, fazendo 23km. E tudo isto porque não havia e não há, comboio à noite entre Aveiro<->Águeda.

Ao longo dos meses, o comboio começou a ficar cada vez mais cheio, devido às dificuldades económicas e aumento do preço dos combustíveis. A CP emitiu uma circular interna proibindo o transporte de bicicletas nos comboios em hora de ponta e mudou também o horário dos comboios -- fiquei sem a possibilidade de levar a bicicleta no comboio.
Passei os meses seguintes a ir e vir de carro, gastando 60€ por mês só de combustível.

As minhas necessidades continuam a ser as mesmas -- deslocar-me a Águeda duas vezes por semana para participar numa aula de desporto de uma hora e meia. A deslocação, quero evitar que seja de carro para reduzir custos. Adorava fazê-la de comboio, porque é barato, porque me permitira descansar durante a viagem ou trabalhar ou ir falando com as pessoas que circulam no comboio e conheço.

Já que não é possível ir e vir de comboio (e estava a fazê-lo de carro), fiz um esforço e investimento na ideia de ir e vir de bicicleta eléctrica! As vantagens são: baixo custo por viagem (cerca de 0,1€); ajuda na DIMINUIÇÃO DA MINHA OBESIDADE; fortalecimento dos músculos e aquecimento/activação do corpo para a actividade desportiva que faço de imediato ao chegar ao meu destino, aumentando assim o meu rendimento.

Atualizações à V1.0 da minha bicicleta eléctrica

Tive de comprar uma nova bateria e acabei também por comprar um novo motor e controlador. Comprei todo o material online, numa loja chinesa: BMSBattery.com

Comprei também, numa loja local, o seguinte material: alforges; selim de gel; colete refletor e espelho retrovisor.

Bateria
Como a minha bateria anterior era de 24V 10Ah e dava para fazer os 25km, agora que precisava de fazer os 50km, decidi comprar uma bateria com 2,5 vezes mais capacidade: 24V 25Ah.
A bateria é de Li-Ion NiCoMn e é composta por 35 elementos, em configuração 5p7s. Pesa 5kg.

Comprei também um suporte para a bateria, que além da bateria, permite-me também colocar alforges e outras cargas, como se pode ver na seguinte foto:


Motor
O meu motor anterior era de 180W e para roda 26''. Sempre me pareceu que o motor poderia dar uma velocidade maior e eventualmente ter um torque (força) menor.
Decidi comprar um novo motor, desta vez de 250W e configurado para roda 16''!! Isto significa que este motor tem uma rotação muito mais elevada e resulta assim numa maior velocidade, visto que o motor tem um caixa de velocidades interna que é configurada para dar 25km/h para a roda 16''.

Fiz uns testes ao motor elétrico e registei alguns valores com o motor em vazio (roda no ar). O conta km estava configurado para a minha roda com perímetro de 2,01m (roda 26'').

  • Vin: 19,25v; Velocidade: 31,0 Km/h; RPMs: 257,0
  • Vin: 24,00v; Velocidade: 38,0 Km/h; RPMs: 315,1
  • Vin: 29,40v; Velocidade: 46,5 Km/h; RPMs: 385,6
  • Vin: 31,00v; Velocidade: 49,5 Km/h; RPMs: 410,1

O modelo do motor é: "Q85(Cute 85) 250W Front Driving Disc-Brake Hub Motor, For Wheel(rim) size: 16 - Plug" e pesa 1,9kg.

Imagem do novo motor:


Controlador

Para o novo motor, foi preciso comprar um outro controlador. Este controlador tem duas opções que o antigo não tinha: limite de velocidade e cruise control.

O limite de velocidade impõe os 25km/h (neste caso se utilizado numa roda 16'').

O cruise control permite que o utilizador descanse o seu punho e evite ter de manter o acelerador numa posição fixa. Para isso, o utilizador deve fixar o acelerador numa determinada posição durante mais de oito segundos, ao fim dos quais poderá largar o acelerador. O controlador manterá o motor à velocidade anterior. Para sair do modo cruise control, basta travar ou acelerar.

Comprei um suporte e uma garrafa, onde coloquei o controlador e respetivos fios, como mostra a imagem seguinte:

 


Acelerador de punho

Visto que previa uma velocidade mais alta que a anterior que tinha, optei por começar a utilizar um acelerador de punho, de modo a ter melhor controlo da velocidade. Com o pedalec que utilizava anteriormente, assim que começava a pedalar, o motor ligava sempre à potência/velocidade máxima, algo que eu não gostava.
Optei por comprar também um pedalec e um acelerador de dedo - são opções que posso utilizar caso venha a encontrar algum problema com a utilização do acelerador de punho.

O acelerador tem uns LED que dão uma indicação do estado da bateria, como se pode ver na imagem seguinte:

Lista material comprado na loja BMSBattery.com

  • 24V 25Ah Li-Ion Alloy Shell Battery Pack - AC Voltage : 200V~264V (em utilização)
  • EBike Carrier for Battery Pack 05 Case (em utilização)
  • Q85 250W Front Driving Disc-Brake Hub Motor, For Wheel(rim) size: 16 - Plug : Sensorless Waterproof Plug.
    Este motor tem furação para 36 raios. (em utilização)
  • Cute-85 250W Front-Driving Brushless Hub Motor for EBike, For Wheel(rim) size: 20 - Plug : Sensorless Waterproof Plug.
    Este motor tem furação para 36 raios. (não utilizado)
  • Hall Sensor/Sensorless 250Watts Brushless Hub Motor Controller (em utilização)
  • Wuxing Twist Grip Throttle with Battery Meter (em utilização)
  • Brake Grip (em utilização)
  • PAS--Pulse Padel Assistant Sensor (não utilizado)
  • Thumb Level Throttle with Battery Meter and a Switch (não utilizado)

Ligações eléctricas

O controlador veio com um esquema/indicações. Bastou-me o seguinte material para fazer a instalação: voltímetro; chaves de fenda e estrela; alicate e x-acto.

2 fios (+ e -) da bateria ligam ao controlador. Depois, 3 fios ligam o motor ao controlador.

Os travões, têm interruptores que se ligam imediatamente quando travamos (com o objectivo de desligar o motor quando travamos). Os fios dos travões ligam ao controlador, sendo que o controlador/sistema funciona sem que os travões sejam ligados.

Finalmente, o acelerador é ligado ao controlador e é necessário para accionar o motor/sistema. Este acelerador é como se fosse um potenciómetro: uma tensão de ~5 volts vem do controlador para o acelerador e o acelerador devolve ao controlador uma tensão que varia linearmente com a posição do acelerador: 0 volts com o acelerador no mínimo e ~5 volts com o acelerador no máximo.

Todas as ligações têm fichas únicas, o que evita enganos/problemas.

Primeira viagem Aveiro-->Águeda-->Aveiro

Na primeira viagem que fiz em 05.04.2011, a primeira parte de entre Aveiro-->Águeda, fiz 24.8Km em 52 minutos. A velocidade média foi de 29Km/h e a máxima de 42.6Km/h.
Nas rectas, com relativamente pouco esforço para pedalar, consegui atingir 35km/h. Em algumas delas consegui 40km/h mas já com a última mudança "esgotada".

Medi também o número de calorias que gastei, utilizando um equipamento próprio para o efeito. Gastei 450 calorias entre Aveiro-->Águeda. O meu ritmo médio de pulsações foi de 129 e o máximo de 149.
Segundo uma tabela de que disponho, o meu ritmo de pulsações ideal para queimar as gorduras, deveria estar entre 114 e 130.

A primeira viagem correu muito bem. Consegui chegar a Águeda ainda com energias disponíveis para a aula de desporto e também para regressar logo depois.

Infelizmente, a escola em Águeda onde pratico o desporto, foi uma obra recente de 11 milhões e meio de euros e não tem um único estacionamento de bicicletas!! Ao contrário, tem um grande estacionamento de carros para funcionários e professores.

Futuro

Nos próximos meses/anos, prevê-se que as dificuldades económicas serão ainda maiores do que as actuais! O custo actual da gasolina a 1,6€, deve continuar sempre a aumentar e prevê-se que dentro de 4 a 5 meses irá atingir os 1,7€.
O desemprego vai aumentar (ainda mais), os preços dos alimentos estão a aumentar, o preços dos combustíveis vão continuar a aumentar, os impostos vão aumentar (ainda mais) e finalmente, os ordenados vão diminuir.

Com estas dificuldades, prevejo que as estradas onde circulo irão ficar mais desocupadas de carros e cada vez com mais bicicletas, logo, mais seguras e agradáveis. Nos últimos meses, é notório o aumento do número de bicicletas na estrada que percorro!!!

O custo da energia eléctrica irá também aumentar, contudo, esta bicicleta eléctrica gasta muito pouca energia e o custo pela viagem será sempre relativamente baixo.

Conteúdo sindicado